Divórcio e a partilha do imóvel financiado!
Voltar para o blog

Divórcio e a partilha do imóvel financiado!

O casal deixou como fruto do casamento dividas e bens a partilhar... Mas o que fazer se o imóvel ainda está financiado?

No ato do divórcio, divide-se tanto os  bens quantos as dividas, tudo a depender do regime de bens do casal. Vamos falar então no caso do regime de bens mais comumente usado no Brasil: comunhão parcial de bens,  nesse regime,  a partir  da união, tudo que for adquirido (lembre-se bens e dividas) é dividido  meio a meio.  Havendo o divórcio, isto não exime o pagamento do imóvel financiado, podendo o nome de ambos serem negativados (SPC / SERASA) e  inclusive o imóvel ir a leilão.

Os artigos 1.659 e 1.660 do Código Civil enumeram as hipóteses de comunicação ou não dos bens no regime da comunhão parcial, vejamos:


Art. 1.659. Excluem-se da comunhão:

I – os bens que cada cônjuge possuir ao casar, e os que lhe sobrevierem, na constância do casamento, por doação ou sucessão, e os sub-rogados em seu lugar;

II – os bens adquiridos com valores exclusivamente pertencentes a um dos cônjuges em sub-rogação dos bens particulares;

III – as obrigações anteriores ao casamento;

IV – as obrigações provenientes de atos ilícitos, salvo reversão em proveito do casal;

V – os bens de uso pessoal, os livros e instrumentos de profissão;

VI – os proventos do trabalho pessoal de cada cônjuge;

VII – as pensões, meios-soldos, montepios e outras rendas semelhantes.

Art. 1.660. Entram na comunhão:

I – os bens adquiridos na constância do casamento por título oneroso, ainda que só em nome de um dos cônjuges;

II – os bens adquiridos por fato eventual, com ou sem o concurso de trabalho ou despesa anterior;

III – os bens adquiridos por doação, herança ou legado, em favor de ambos os cônjuges;

IV – as benfeitorias em bens particulares de cada cônjuge;

V – os frutos dos bens comuns, ou dos particulares de cada cônjuge, percebidos na constância do casamento, ou pendentes ao tempo de cessar a comunhão.


Assim, havendo divórcio, os bens adquiridos na constância do casamento serão partilhados em igual proporção (50% para cada um), ainda que a contribuição financeira dos cônjuges para aquisição do patrimônio tenha sido desigual.

Vamos as hipóteses:

Acordo: Havendo comum acordo, beleza! Muitas vezes um dos  ex-cônjuges adota a parte do outro e assume as parcelas ainda a vencer. Cabe destacar que tal decisão deve ser formalizada através de um acordo extrajudicial por escritura publica ou na ação de divorcio perante o juiz. E não se esqueça de comunicar a instituição credora que a partir de então um dos cônjuges assumirá a divida. Lembre-se  que haverá uma nova analise de credito, portanto quem assumir deve dar conta de pagar!Caso a parte não tenha condições financeiras, o financiamento continuará no nome de ambos, a responsabilidade é solidária!

Sem acordo: Se não tem acordo entre o casal a  alternativa é  ratear a divida, cada um assumirá o seu percentual e os  encargos da responsabilidade do financiamento. Após a quitação, pode, caso queiram,  vender o imóvel  e dar a quota parte de cada um!

Agora atenção, mesmo  que somente um cônjuge tenha pago todas as parcelas anteriores, a divisão do financiamento é metade-metade!

Ninguém quer o imóvel: E se nenhum dos dois queira assumir a divida e nem saber mais de ouvir falar do imóvel? o melhor a se fazer é colocar o imóvel a venda antes de quita-lo. Pode-se  transferir o financiamento imobiliário para terceiros (sujeito a analise de credito, claro!) Ou também pode, como ultima opção, vender o imóvel em leilão publico. Sabendo dos encargos quais sejam: demora, valor do imóvel pode diminuir e não ser suficiente pra quitar o restante do valor do financiamento.

Outros posts

  1. 03 fatores que indicam que este é o momento de comprar imóvel

    03 fatores que indicam que este é o momento de comprar imóvel

    1) Os Imóveis Ficaram Mais Baratos Em 2014 havia uma percepção geral de que os preços dos imóveis estavam altos. Isso ocorreu porque os valores dos imóveis cresceram muito mais do que os demais preço...

  2. 11 dicas para comprar sua casa própria com mais segurança

    11 dicas para comprar sua casa própria com mais segurança

    11 DICAS PARA COMPRAR SEU IMÓVEL COM SEGURANÇA!  A compra de um imóvel é uma das decisões financeiras que mais comprometem o orçamento e, por isso, deve ser bem avaliada. Quem vai comp...

  3. 11 Verdades sobre compra de imóvel na planta!

    11 Verdades sobre compra de imóvel na planta!

    É bem mais barato apostar em um imóvel que acaba de ser lançado. Mas quando surgir uma boa oportunidade – e ela pode estar próxima – fique atento: há segredos no bom arremate. O apartamento dos sonho...

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência.

Casa Maiori Imóveis

(54) 99908-4940